Vereadores aprovam grau máximo de adicional de insalubridade para a Saúde de Curitiba

A Câmara de Vereadores de Curitiba aprovou o pagamento de adicional de insalubridade no grau máximo para os profissionais da saúde ligados direta ou indiretamente à Prefeitura Municipal de Curitiba que estejam na linha de frente no combate à Covid-19.

A sugestão ao executivo, proposta por vereadores a pedido da diretoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Enfermagem de Curitiba (Sismec), defende que a taxa do adicional para a categoria seja de 40%. Aprovada por 38 votos, ela ainda depende de aprovação do prefeito Rafael Greca para começar a ser paga aos trabalhadores.

“O sindicato não se dará por vencido no caso de uma negativa do município. Recorreremos às possibilidades judiciais, se assim se fizer necessário!”, afirma a presidente do Sismec, Raquel Padilha. “Esse requerimento é uma das várias ações que estamos realizando em prol da segurança da enfermagem curitibana”, lembra ela.

A alta taxa de transmissão do novo coronavírus, sua letalidade e também o reconhecimento das autoridades sobre a necessidade de isolamento social – medida inviável para profissionais de saúde no desempenho de suas atividades, motivam o pedido, que não deve ser recebido como novidade pela gestão. O Sismec já fez a mesma solicitação em conjunto com outras entidades, além de ter enviado ofício próprio pleiteando que o pagamento fosse implementado de forma administrativa, retroativo a março.

 

Leia aqui o ofício do Sismec:

Oficio SISMEC_020-2020_Adicional de Insalubridade (1) (2)-convertido