Participação do trabalhador na 14ª Conferencia de Saúde de Curitiba

O “SISMEC” – SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ENFERMAGEM DE CURITIBA – Convoca todos os Profissionais da Enfermagem Servidores da Prefeitura de Curitiba, Sindicalizados ou não para participarem da 14ª Conferencia Municipal de Saúde de Curitiba – segunda etapa., juntamente com o SISMEC para defendermos e promovermos os interesses dos trabalhadores do SUS em Curitiba. Basta entrar em contato com o sindicato demonstrar o interesse , passar retirar o oficio para se cadastrar, a Plenária acontecera no dia 14 de agosto de 2019 no auditório do Mercado de Orgânicos ( Rua da Paz 608), os profissionais deverão inscrever-se neste dia no horário das 18;00 as 19;30 com oficio fornecido pelo SISMEC e documento de identificação, não sendo necessário permanecer na plenária, as vagas conquistadas pelo SISMEC serão distribuídas entre os participantes, conforme critério a ser decidido em conjunto pelo grupo participante. A União Fortalece!!!
A seguir esboço da tese elaborada Pelo SISMEC e que sera encaminhada como proposta de melhorias ao trabalhador.
Tese para discussão na 14ª conferência Municipal de Saúde Do Município de Curitiba.
Tendo como Eixo Principal a Promoção da saúde e envelhecimento, dos trabalhadores da saúde.
Objetivo:
Propor a implementação de um programa de humanização para com o trabalhador da área da saúde do município.
Argumentação:
É notório e crescente o envelhecimento precoce adoecimento mental entre os profissionais da saúde. Este sofrimento psicológico em média 53% são relacionados ao trabalho e os principais distúrbios identificados são ansiedades, depressão e síndrome de bornout. Distúrbios estes que podem ser gerados devido condições de trabalho desgastantes como sobrecarga de trabalho, convívio contínuo com a dor e a morte dos pacientes. Alerta permanente para o recebimento de situações de emergências. Clima entre servidores e entre pacientes, (pressão de chefias e desentendimento entre equipes, agressões tanto verbais como físicas vindas de pacientes).
Estes profissionais estão na ponta, dando a assistência direta a nossa população, precisam estar saudáveis e aptos a proporcionar uma assistência efetiva. Requerem cuidados pois a qualidade da assistência dispensada à nossa população depende da boa saúde destes profissionais.

Conclusão:
Como medida para diminuir estes índices e evitar o adoecimento dos profissionais sugere-se que crie um programa específico de
Humanização para com o trabalhador da saúde. Cuidando de quem nos cuida. Para implementação de formas de ouvi-los, (um canal humanizado de atenção ao servidor) identificar as dificuldades e implementar medidas para reduzir os agentes nocivos a saúde destes profissionais.
E para assegurar o controle dos eventos e a proteção dos trabalhadores, adequar a legislação que norteia as CAT, reconhecendo as agressões verbais e assédios profissionais decorrentes no local de trabalho ou em razão deste como acidentes de trabalho. Segue em anexo embasamento legal para esta medida, bem como a proposta já encaminhada a câmara de vereadores do Município.

Atenciosamente.

Raquel da Silva Padilha
Presidente