Sismec solicita apoio da gestão frente à pandemia de Covid-19

 

O rápido crescimento do número de casos confirmados de Covid-19, a extrapolação das barreiras geográficas e o aumento no número de óbitos mundo afora elevou o problema ao status de pandemia.

Batizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença é causada pelo novo tipo de coronavírus em circulação e transmitida basicamente por meio de contato.

Apesar da situação brasileira não estar tão grave quanto a de outros países, o Sindicato dos Servidores Municipais de Enfermagem de Curitiba (Sismec) se articulou em busca de mais segurança para profissionais e pacientes da capital paranaense. “Se os trabalhadores forem expostos, além de deixarem a população sem atendimento, tornam-se meio de disseminação da doença”, explica a presidente da entidade, Raquel Padilha.

O Sismec informou que já entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitando treinamento específico, equipamentos de proteção individual adequados e em quantidade suficiente, protocolos mais claros e nos quais conste qual profissional será designado para cada procedimento, reposição urgente do quadro de funcionários, local apropriado para atender pacientes sob suspeita, remanejamento dos servidores com mais de 65 anos e também dos imunodeprimidos.

As solicitações do sindicato foram formalizadas via ofício e, em resposta, a superintendência da SMS disse que tais medidas serão tomadas, mas ainda não precisou quando.

Além do protocolo padrão de atendimento a pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19 indicado pelo Ministério da Saúde, a diretoria do Sismec orienta que a enfermagem tome mais alguns cuidados, como o uso contínuo de máscara cirúrgica, jaleco de mangas longas e sapato fechado no ambiente de trabalho, manutenção das unhas curtas e ingestão frequente de água.