Sismec oficia SMS sobre convocação de servidores com comorbidade

O Sindicato dos Servidores Municipais de Enfermagem de Curitiba (Sismec) enviou, nesta sexta-feira (11), um ofício à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para que apresente documentos médico-periciais e embasamento legal que autorizem o retorno ao trabalho dos profissionais afastados pelo Decreto 430/2020. O prazo para resposta oferecido à gestão foi de 72 horas, depois disso a justiça deverá ser acionada pela entidade representante dos trabalhadores.

A diretoria do SISMEC avalia a atitude do município como bastante contraditória, pois a SMS estaria querendo recolocar esses trabalhadores no meio da maior crise da pandemia, em locais de alto risco de contaminação e sem avaliação adequada.

De acordo com os termos do decreto, que foi editado pela própria prefeitura e continua em vigência, foi necessária avaliação médica e declaração pericial para afastar esses servidores. “Entendemos que para o retorno deverá haver o mesmo cuidado, inclusive avaliando os locais em que esses profissionais deverão desempenhar suas atividades, assegurando assim o mínimo de segurança”, afirma a presidente do sindicato, Raquel Padilha.

Os números mostram redução de casos de covid-19 entre os profissionais de enfermagem após o inicio da vacinação. Contudo, de acordo com o acompanhamento feito pelo órgão sindical, essa redução durou aproximadamente três meses, sendo que no último mês já teria havido aumento de infectados dentro da categoria.

“Ainda não há dados suficientes sobre pessoas com comorbidades expostas a cargas virais altas por períodos prolongados, muito menos com a proximidade necessária para a execução de cuidados de saúde, como é o caso da enfermagem. Mesmo vacinados, esses profissionais têm uma margem de segurança muito reduzida. Por isso, estamos pedindo que a PMC verifique a condição de retorno de cada um e aloque os servidores aptos em postos em que possam atuar com menor risco de contágio.”, explica a presidente do Sismec.

Leia o ofício na íntegra.