Denúncia grave: PMC mantém funcionários que tem familiares com Covid em atendimento ao público

A Prefeitura Municipal de Curitiba (PMC) não está afastando do trabalho os profissionais da Saúde que tem familiares com suspeita de Covid-19 ou com diagnóstico confirmado da doença. Quem faz o alerta é o Sindicato dos Servidores Municipais de Enfermagem de Curitiba (Sismec).

Na última semana, o sindicato recebeu quatro denúncias sobre trabalhadores nessa situação. “Para mim, isso é passível de ser tipificado como crime!”, afirma Raquel Padilha, presidente da entidade. Na avaliação do Sismec, ao ser comunicado e negar o afastamento, o município coloca em sério risco o grupo de trabalho e também os pacientes, além das famílias destas pessoas.

“Como que a gente vai trabalhar com uma pessoa que o familiar deu positivo?”, questiona preocupada a servidora que fez uma das denúncias. “Quem deveria garantir a segurança de todos está inserindo indivíduos com grande chance de estarem infectados no meio dos que estão saudáveis”, pondera Cleo Silva, diretora de formação política e sindical do Sismec. “Estamos inseguros. Além de tudo, isso abala o psicológico! E ninguém trabalha bem nesse estado…”, desabafa ela.

De acordo com as informações recebidas pelo sindicato, o setor de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde diz que somente serão afastados os profissionais que apresentarem sintomas da doença. Isso vai de encontro ao conteúdo de documentos que a entidade colheu como prova nos últimos dias, em que a PMC orienta as chefias sobre o procedimento.

A diretoria do Sismec relata que pediu à gestão máxima urgência em resolver a situação. “Sugerimos um fluxo mais seguro, que afasta imediatamente e só permite o retorno ao trabalho depois que os exames derem negativo para o novo coronavírus”, conta a presidente.

Ainda segundo Raquel, é impossível o funcionário se manter de máscara em tempo integral. “São jornadas de doze horas. Eles precisam comer, beber água… Como se faz isso de máscara? Eles também têm que usar o banheiro, que é coletivo”, explica.

O número de casos confirmados e de óbitos continua subindo. Só nesta semana, mais quatro profissionais da saúde diagnosticados com Covid-19 perderam a vida na Grande Curitiba, três deles nas últimas 48 horas. No total, já são oito mortes.

Imagem: Mohamed Hassan por Pixabay